Van Hohenheim
Hohenheim da Luz
Van Hohenheim.jpg
Nomenclatura
Nome completo Van Hohenheim
Hohenheim da Luz
Língua japonesa ヴァン・ホーエンハイム
光のホーエンハイム
Romanização Van Hoenhaimu
Hikari no Hoenhaimu
Tradução Van Hohenheim[1]
Hoheinheim da Luz[2]
Alcunhas O Filósofo do Oeste
Número 23
"23"
Theophrastus Bombastus Van Hohenheim
Hohenheim Elric[3][4]
Dados Gerais
Afiliação
Ocupação
Patente
Itens usados Alquimia
Alquimia única Transmutação humana
Objetivos pessoais Se tornar mortal e ver seus filhos crescerem
Esperar seu corpo apodrecer até morrer[4]
Fazer com que seu filho volte a seu mundo de origem[5]
Estado Falecido
Dados Pessoais
Raça Raça humana
Etnia Povo de Xerxes
Gênero Masculino
Idade 450
Data de nascimento 1465
Local de nascimento Xerxes
Traços únicos Imortal
Estar sempre disposto a fazer o papel de bobo
Não possui ambições
Mulherengo[4]
Interações pessoais Edward Elric (filho)
Alphonse Elric (filho)
Trisha Elric (esposa, falecida)
Dante (ex-amante)[4]
Inveja (filho)[4]
Pai[6]
Homúnculos
Winry Rockbell (nora)
May Chang (nora)
Dados de Mídia
Estréia Capítulo 40, Episódio 12
Estréia alternativa Episódio 43[4]
Estréia nos jogos Fullmetal Alchemist and the Broken Angel
Aparições
Voz japonesa Masashi Ebara[4]
Unsho Ishizuka[7]
Daisuke Namikawa (jovem)[7]
Voz brasileira Guilherme Lopes[4]
Leonardo Camilo[7]
Vágner Fagundes (jovem)[7]
25px-CharacterAmestrisFlag.png


Van Hohenheim (ヴァン・ホーエンハイム, Van Hōenhaimu) - também conhecido na série de 2003 como Hohenheim da Luz (光のホーエンハイム, Hikari no Hōenhaimu) - é um alquimista extremamente poderoso e antigo. Ele também é o pai dos irmãos Edward e Alphonse, apesar de ter abandonado a família quando seus filhos ainda eram pequenos.

Descrição

  • É o pai de Ed e Al. "Hohenheim da Luz", que nem Dante, é um alquimista que viveu transferindo a própria alma de um corpo a outro por 400 anos. (Site Hagaren)[8][9]

Aparência

Artwork de Hohenheim da série 2003.

Van Hohenheim é um homem relativamente alto, de ombros largos com a aparência de um homem de meia idade relativamente saudável. Ele usa seu longo cabelo loiro-dourado em um rabo de cavalo solto na altura dos ombros com dois ou três fios de cabelo solto caindo sobre a testa e ostenta uma barba estilo Donegal em seu queixo quadrado. Ele também usa óculos sobre os olhos dourados, embora se precisa ou não deles é desconhecido. Ele tem sido descrito como "muito bonito" por muitas mulheres, ao longo da série. No mangá, Van Hohenheim freqüentemente usa uma camisa branca e gravata sob um colete preto com calças alinhadas e um sobretudo marrom. 

Quando era mais jovem, seus cabelos eram loiros e longos que se estendiam até suas costas, que ele mantém em um rabo de cavalo. Ele usava roupas cinza durante seu tempo como um escravo. À medida que envelhecia, seus traços faciais envelheceram com o tempo deixando mais explicito as íris de seus olhos cor de ouro, as maçãs do rosto mais definidos, e ele deixou a barba crescer, conectando-se as suas costeletas.

Hohenheim durante a série 2003.

Na série de anime de 2003, Hohenheim ostenta uma construção ligeiramente mais doughier, com um queixo mais suave e cabelo um pouco mais escuro e diferente. Seus óculos também mudam e sua vestimenta também.

Personalidade

Quando era mais jovem, Hohenheim era mal-humorado e orgulhoso por ser um escravo, e reagia com raiva aos insultos feitos pelo Homúnculos original. Ele também era muito curioso, querendo saber o que a era liberdade e queria aprender alquimia. À medida que envelhecia, ele conseguia controlar melhor seu mal-humor. Após o incidente em Xerxes, ele entrou em desespero ao perceber o que suas ações tinham feito para as pessoas ao seu redor. Desde então, ele faz amizade com as muitas almas dos cidadãos de Xerxes preso dentro dele. Seu senso de dever também é grande o suficiente já que ele continuou a trabalhar para impedir o Pai de alcançar seus objetivos. Ele também é um pouco arrogante em sua vida adulta.

Como pai e marido, ele ficou muito afastado de sua família. Ele também preferiu que eles não seguissem o mesmo caminho que ele, pois ele se via como um monstro. Seu afastamento de sua família foi a razão pela qual Edward culpava pela morte de sua mãe, já que ela morreu esperando Hohenheim retornar de sua viagem. No entanto, Hohenheim amava profundamente sua família, como ele já foi dominado pela emoção, em uma sessão de fotos da família, e acaba se sentindo mal pela morte de sua esposa. Seu amor se estendia até o ponto onde ele estava disposto a sacrificar-se, a fim de trazer de volta Alphonse.

Na série 2003, sua personalidade é praticamente a mesma, a única diferença é que ele se mostra ser bastante mulherengo apesar de falar que genuinamente amou Trisha. Além do mais, Hohenheim da Luz não fez nada para parar de fazer os inúmeros crimes que ele cometeu, e escolheu não fazer nada para parar Dante, mas escolheu esperar por sua morte inevitável.

História

O jovem que mais tarde seria conhecido como Van Hohenheim cresceu durante o século 15 na capital do antigo e avançado país de Xerxes. Quando jovem, ele era o vigésimo terceiro escravo doméstico de um renomado alquimista a serviço pessoal do rei de Xerxes e era conhecido simplesmente como "23". Embora contente em sua posição humilde, sem liberdade, qualquer conhecimento do mundo ou mesmo um nome, a vida do jovem mudaria dramaticamente em sua adolescência quando seu mestre o escolheu para um experimento alquímico particular que envolvia usar seu sangue.

Enquanto limpava o laboratório de seu mestre um dia, 23 encontrou o produto desse experimento. Era uma criatura sombria quase sem forma e senciente mantida em um frasco e se autodenominando Homúnculo. Grato ao Escravo 23 pelo sangue que lhe dera vida, o Homúnculo decidiu dar um nome ao jovem. Embora 23 tenha decidido que o nome Homúnculo inicialmente planejado para ele (Theophrastus Bombastus Van Hohenheim) era muito longo para que ele se lembrasse, ele aceitou "Van Hohenheim" como seu nome. Mas quando o Homúnculo percebeu que, por ser um escravo humilde, Hohenheim era muito ignorante para ler ou escrever, e explicou que, se ele adquirisse conhecimento, ele seria capaz de escapar dos laços da escravidão e fazer algo por si mesmo no grande e vasto mundo. Como seu segundo presente ser que ele chamou de "Pai", o Homúnculo começou a dar aulas para Hohenheim, usando seu próprio conhecimento misterioso para ensiná-lo a ler, escrever, aritmética, ciência e alquimia básica. Exultante com o novo senso de orgulho que veio com seu conhecimento, Hohenheim começou a dar aulas para os outros escravos e quando o mestre descobriu suas habilidades notáveis, Hohenheim declarou que, com seu conhecimento de alquimia, ele poderia ser um recurso mais valioso para o mestre do que um mero escravo.

Logo depois, o mestre alquimista libertou Hohenheim da escravidão e o aceitou como seu assistente. À medida que crescia como um alquimista promissor, Hohenheim agradeceu ao Homúnculo por lhe dar o conhecimento necessário para superar seus dias no degrau mais baixo da sociedade e expressou sua esperança de que seria capaz de começar uma família, apesar da aversão do Homúnculo pela dependência da existência humana na "reprodução". Quando Hohenheim perguntou o que faria o Homúnculo feliz, ele apenas respondeu que gostaria que um dia escapasse de seu frasco sem morrer. Logo depois, no entanto, Hohenheim e o Homúnculo começariam a passar menos tempo juntos, pois o conhecimento misterioso da criatura sombria foi solicitado pelo Rei de Xerxes a fim de procurar uma maneira de tornar o monarca imortal.

Levaria pelo menos uma década para que o ritual de imortalidade apresentado pelo Homúnculo se tornasse completo, mas quando esse dia chegou, tornou-se imediatamente aparente que o Homúnculo havia arquitetado algum tipo de traição. Ao alimentar a corte do rei com desinformação, de modo que o centro do grande círculo ficasse ligeiramente torto, o Homúnculo orquestrou a situação para que Hohenheim (segurando o frasco) inadvertidamente ficasse no verdadeiro centro. As mais de um milhão de pessoas que viviam em Xerxes tiveram suas almas imediatamente retiradas de seus corpos e condensadas no centro quando o círculo foi ativado, puxando os dois através do Portão e dotando-os com a energia de cerca de meio milhão de almas cada.

Quando Hohenheim acordou na manhã seguinte, ele ficou horrorizado ao encontrar na capital um mausoléu e o Homúnculo habitando um corpo humanóide idêntico ao seu. Explicando a situação, o Homúnculo revelou que tinha sacrificado o povo de Xerxes para escapar de sua prisão de vidro, bem como dar a seus parentes de sangue Hohenheim uma última gratificação, a vida eterna e um corpo que nunca envelheceria. Hohenheim assim se torna o último cidadão sobrevivente de Xerxes.

Cheio de desespero, Hohenheim fugiu longe de sua terra natal vazia, em direção ao leste, vagando sem rumo pelo Grande Deserto e tornou-se ciente dos movimentos e gritos angustiados de milhares de pessoas que circulavam em sua alma. Abandonado, ele começou a falar com eles, separando as almas individuais do coro interminável de gritos até que ele desabou de exaustão na areia. Encontrado ainda vivo por viajantes da nação oriental de Xing, Hohenheim foi trazido para lá e recuperou sua força enquanto chegava a um entendimento com cada uma das almas dentro dele e ensinava princípios alquímicos ao povo Xingues. Quando o conhecimento alquímico de Hohenheim foi combinado com a forma rudimentar de alquimia sendo estudada em Xing, a Alkahestria nasce. O povo Xingues o chamava de "O Filósofo do Oeste".

Eventualmente Hohenheim deixou Xing e passou séculos no exterior acumulando conhecimento sobre os diferentes costumes e práticas do mundo. Ele também continuou sua comunicação com as 536.329 almas presas dentro dele, até que aprendeu todos os seus nomes e ouviu todos os seus apelos. Depois que todos eles foram ouvidos, eles finalmente se acalmaram, dando a Hohenheim um pouco de paz de espírito e continuaram sua jornada sem fim por todo o país, mas continuariam falando com as almas dentro dele para mantê-las calmas. Mais tarde, ele chegou ao crescente país de Amestris e se estabeleceu por algum tempo em uma pequena cidade da Área Leste conhecida como Resembool, provavelmente em algum momento da década de 1860.

Lá, ele se tornou um bom amigo dos habitantes da cidade, especialmente uma jovem chamada Pinako Rockbell. Décadas depois, Pinako apresentaria ao eterno Hohenheim uma jovem chamada Trisha Elric, por quem ele se apaixonou imediatamente. Enquanto Hohenheim relutava em aceitar seus sentimentos, sabendo que ela envelheceria e ele não, e o fato de que ele conheceu Trisha uma vez antes, quando ela era uma criança, como mais uma demonstração de sua mortalidade, Trisha o encorajou a começar vivendo sua vida. Encorajado, Hohenheim e Trisha começaram a namorar e se casaram. Em 1899, Trisha deu a luz ao primeiro filho de Hohenheim chamado Edward e depois deu luz ao segundo filho, Alphonse, um ano depois.

Mas, ao assistir o tempo afetar os meninos que compartilhavam seu sangue de maneiras que eram perdidas para ele e seu corpo imortal, Hohenheim ficou preocupado. Embora Trisha e Pinako nunca o tivessem julgado ou hostilizado por sua existência amarantina, Hohenheim começou a temer a perspectiva de ver sua nova família envelhecer e morrer sem ele, pois ele tinha visto acontecer com tantas outras pessoas nos últimos séculos. Pensando ser um monstro, ele começou a temer que tocar nos filhos também lhes desse sua maldição, mas Trisha percebeu sua inquietação e decidiu contratar um fotógrafo para tirar um retrato dos quatro. Enquanto ela colocava o sorridente jovem Edward nos braços de seu pai para fazer a pose, Trisha explicou que ela só queria que eles fossem uma família unida e amorosa, independentemente da aparência de cada pessoa e pediu a ele que não se distanciasse de sua família e se chamasse um monstro. Enquanto o flash da câmera disparava, lágrimas de gratidão e tristeza escorreram pelo rosto de Hohenheim. Ele resolveu encontrar uma maneira de acabar com sua imortalidade e envelhecer e morrer junto com sua amada Trisha, mas também temia o fracasso e ver sua família morrer.

Infelizmente, enquanto examinava incontáveis textos alquímicos a fim de encontrar uma maneira de reverter o efeito do que o Homúnculo havia feito com ele, Hohenheim fez uma descoberta chocante: que a própria nação de Amestris foi construída e projetada do zero com o objetivo de repetir num grau mais devastador a tragédia que se abateu sobre Xerxes, um gigantesco Círculo de Transmutação com o propósito de transformar todos os habitantes do país em uma nova Pedra Filosofal. Percebendo que apenas o Homúnculo poderia ser responsável por tal conspiração, Hohenheim decidiu pará-lo, pelo bem de sua amada família e todos os seus queridos amigos. Depois de explicar a Trisha que estava partindo e prometer que eles morreriam juntos, Van Hohenheim partiu de casa e Resembool em 1904.

Depois de viajar por uma década (provavelmente pesquisando os métodos do Homúnculo e montando uma contramedida própria), Hohenheim ressurgiu na Cidade Central em 1914, onde encontrou uma alquimista chamado Izumi Curtis, com quem discutiu sobre a Pedra Filosofal e revelou que seu "sonho de toda a vida" estava prestes a se tornar realidade.

No anime de 2003, seu passado é bastante sombrio, exceto por alguns momentos-chave mostradas na série. Aproximadamente 400 anos antes da série, Hohenheim criou a Pedra Filosofal, usando pessoas capturadas em uma caça às bruxas e aqueles morrendo da peste. A reação resultante quase causou a morte de Hohenheim, mas por amor e preocupação com sua amante, Dante usou a pedra para prender sua alma para o corpo de outro homem.

É a partir daqui que o os dois vão vivendo pulando de corpo a corpo, e obtêm uma chamada vida eterna, apesar de que Hohenheim tinha apenas a intenção de viver tanto tempo quanto a pedra durasse, ao lado de Dante. Não se sabe se Dante e Hohenheim casaram, mas a sua relação produziu um filho que morreu com a idade de 18 anos de intoxicação por mercúrio. Hohenheim realizou uma transmutação humana sobre o seu filho, o qual, por sua vez, não conseguiu, produzindo o Homúnculos pela primeira vez, após isso seu filho revivido se sentiu furioso por ter sido criado e depois abandonado indo em busca de vingança e para consegui-la se juntou a Dante se tornando o Homúnculo Inveja. Lamentando o que tinha feito a seu filho, Hohenheim fugiu.

Ele vagou por muito tempo até achar Trisha e se apaixonar por ela, ele teve um filho e vivia uma vida normal, mas depois de seu segundo filho nascer seu corpo começou a rejeitar a alma e a apodrecer. Consequentemente ele abandona a família e parte em busca de uma forma de manter sua vida.

Plot

Mangá e Série 2009

Série 2003

Após vários anos ele retorna a Resembool e vê Edward e Alphonse já crescidos e logo nota que eles haviam tentado a transmutação humana, porém ao tentar conversar sobre isso, ele é impedido por Ed que disse que após abandonar a família ele não podia dar uma de "pai". Após isso Hohenheim vai embora em busca de Dante, que havia sido mencionada em uma das conversas de Ed.

Após achar Dante, ele percebe que seu corpo também estava apodrecendo. Ele tenta fazer um acordo com Dante, mas ela o ignora e o um pequeno confronto usando avatares elementais começa, mas logo acaba em empate. Hohenheim queria lutar mais porém foi interceptado por Preguiça que o distrai com sua aparência igual a de Trisha e depois o prendeu com seu corpo de água, dando tempo para Dante invocar o Portão e o transportá-lo para a nossa dimensão onde ficou por um tempo sozinho estudando o portão. Logo após Edward ter ido ao outro lado da porta, ele o ajuda a fugir da cidade. Entretanto, Ed decide ficar enquanto Hohenheim foge definitivamente para escapar dos Zeppelins.

No epílogo, ele é visto com Edward conversando. É mostrado que ele vive na Alemanha, aliando-se com a Sociedade Thule, esperando encontrar uma maneira de enviar seu filho de volta para Amestris, e cuida dele até que Edward saia para a Transilvânia para encontrar os meios de viajar no mundo.

Filme

Hohenheim não aparece muito, exceto por algumas cenas essenciais. Ed explica a Noah que seus membros artificiais foram criados por Hohenheim, e há vários substitutos mantidos em caixas no quarto de Edward. Mais tarde, Ed fica chocado ao saber que Hohenheim é um prisioneiro da Sociedade Thule e está sendo usado como um sacrifício no lado alemão do Portão.

Dietlinde Eckhart, a líder da Sociedade Thule, planejava usar a tecnologia e os recursos de Amestris (que ela acreditava ser a mística Shamballa) para conquistar o mundo. Ed está prestes a atacá-la, mas para quando vê Hohenheim na boca de Inveja. Hohenheim começa a se desculpar com Ed pelo que ele fez e por não ser capaz de impedir que Inveja o machucasse. Depois de pedir a Ed para dar lembranças a Al, Hohenheim puxa os dentes e a boca de Inveja para mordê-lo, matando-o e usando seu sangue e o corpo de Inveja para abrir o portão.

Habilidades

Rápida Regeneração: Por ser uma Pedra Filosofal Humana, o corpo de Hohenheim é capaz do mesmo nível de regeneração milagrosa que os dos Homúnculos e, como tal, ele foi tornado incapaz de morrer ou mesmo envelhecer, tendo sido preservado na flor da vida e saúde por cerca de 400 anos. Sua pedra, no entanto, é muito maior do que a de qualquer um dos Homúnculos, já que suas pedras vieram da pedra do Pai, que é do mesmo tamanho que a de Hohenheim.

Alto Intelecto: Com quase quatro séculos de experiência de vida e estudo alquímico acumulados, o nível de conhecimento alquímico de Hohenheim facilmente supera o de qualquer outro alquimista humano na história do mundo.

Os avatares de gelo de Hohenheim lutando contra os avatares de pedra de Dante.

Mestre da Alquimia: Com mais de meio milhão de almas alimentando sua pedra, Hohenheim não só é capaz de realizar transmutações sem o uso de um Círculo de Transmutação, mas também pode transmutar sem mover seu corpo e pode até realizar transmutações biológicas e contornar a lei da Troca Equivalente com facilidade. Além disso, uma vez que ele se tornou capaz de conversar diretamente com cada uma das 536.329 almas humanas que constituem sua Pedra Filosofal, a alquimia de Hohenheim é extremamente versátil e pode ser implementada em vários locais ao mesmo tempo, mesmo sem sua própria vontade de orientá-la ativamente por muito tempo enquantou ele depositou algumas de suas almas lá. Além disso, ele parece ser mais poderoso do que qualquer outro alquimista com uma Pedra devido ao suporte das almas da Pedra. Durante seu confronto contra o Pai, ele desviou várias rajadas de energia sustentada e chamou as almas de sua Pedra para ajudá-lo. Depois de receber a ajuda deles, seu poder foi aumentado a tal ponto que o Pai não conseguiu superar sua proteção com nada menos do que uma explosão nuclear.

No anime de 2003, por ter feito a Transmutação Humana para tentar reviver seu filho, Hohenheim ganhou a capacidade de fazer alquimia sem usar círculos. Ele demonstrou poder fazer uma alquimia de gelo muito mais complexa do que a feita por Isaac McDougal, personagem do anime Brotherhood. Ele pode condensar o vapor de água no ar em água, depois formar gelo e manipula-lo com maestria podendo fazer avatares de gelo que de alguma forma podem se mover sem sua interferência direta lutando por conta própria sem ele ter que se manter em contato com eles para os controlar. A mais significativa é a capacidade de transmutar a luz, moldando-a em uma forma física de sua escolha e manipulando-a remotamente, o que lhe valeu o apelido de "Hohenheim da Luz". Mais tarde, no filme O Conquistador de Shamballa, ele é visto moldando a luz em Golems (semelhante à armadura de Alphonse), que ele faz atacar seus inimigos.

  • Transferência da alma para outro corpo: No anime de 2003, Hohenheim não é uma Pedra Filosofal, mas sim um alquimista que descobriu um método de separar a alma de um corpo e transferi-la para outro corpo usando a Pedra Filosofal para contornar a Troca Equivalente. Por este método, ele conseguiu escapar da morte por cerca de quatrocentos anos, mas ainda é tão vulnerável a ataques quanto qualquer humano. Além disso, a instabilidade experimentada quando uma alma habita um corpo incompatível faz com que o corpo apodreça mais e mais prematuramente com cada transferência de corpo.[4]

Criador da Alkahestria: 400 anos atrás, as práticas que dariam origem a essa alquimia Xinguesa não podiam ser realmente chamada de "alquimia", mas uma série de tentativas equivocadas de cura mística por meio da ingestão de várias substâncias. Na verdade, é dito que três gerações inteiras da família imperial morreram por ingestão de mercúrio porque acreditavam que ele promovia a longevidade. Até que um dia uma figura misteriosa que eles chamam de "O Filósofo do Oeste" (Hohenheim), que supostamente veio de Xerxes, apareceu em Xing, e com seus ensinamentos alquímicos ajudou a criar a Alkahestria Xinguesa, criado a partir de uma fusão dos novos ensinamentos e da velha metafísica práticas de cura. Apesar de ter ajudado na criação, Hohenheim não é visto usando o mesmo.

Trivia

  • O personagem de Hohenheim é aparentemente inspirado por Phillip von Hohenheim, um alquimista renascentista suíço e cientista adiantado que adotou mais tarde o nome Philippus Aureolus Theophrastus Bombastus von Hohenheim e a alcunha Paracelsus. Paracelsus creditou-se com a criação de um Homúnculo de vários fluidos corporais humanos. Isto é ainda mais comprovado pelo fato de que o homúnculo original ia lhe falar o mesmo nome mencionado antes, mas sendo nesse tempo um escravo analfabeto, Hohenheim pensou que era muito longo e acabou abreviando para apenas Van Hohenheim.
    • A palavra Alquímica, Alkahest, é o nome de um hipotético solvente universal que pode dissolver qualquer substância, incluindo o ouro, e era muito procurado pelos alquimistas para seus usos medicinais. Acredita-se também que este nome foi inventado por Paracelsus quando viajou da China para Constantinopla. Esta é outra relação entre os dois, pois Hohenheim foi para Xing após Xerxes e ensinou o povo de Xing a "Alkaestria", que é usado principalmente para fins medicinais, então pode-se ver que há uma enorme ligação entre Paracelsus, Alkahest, Hohenheim e a Alkahestria. Este link foi provavelmente o que levou a história de Hohenheim em Xing, eo nome da Alquimia Xinguesa e seus usos.
  • No exclusivo episódio de recapitulação do anime, fica implícito que Hohenheim conhecia Trisha desde que ela era uma criança: uma jovem pede a Hohenheim para dançar com ela, e a mesma fica bastante decepcionada por sua recusa.
  • É dito que Hohenheim chegou a um entendimento com cada uma das almas que compõem sua Pedra Filosofal, para que assim cooperem voluntariamente com ele para fazer com que o Pai pague por suas ações. No entanto, antes que isso tenha sido revelado, Hohenheim é visto usando todos os tipos de alquimia que não estejam relacionados a derrotar o Pai, como rearranjar o interior devastado de Izumi Curtis.
    • Não se sabe se Hohenheim usou qualquer uma das almas fazendo este tipo de alquimia, ou se talvez ele só tenha usado pedaços de cada alma, de modo a não usar uma alma inteira. Também é possível que tal alquimia não exigisse sua Pedra, mas se baseasse em seu vasto conhecimento alquímico e no "chi" da Terra (fonte de energia da Alkahestria). Isso pode ser verdade mesmo no caso de Izumi, pois ele estava simplesmente rearranjando suas entranhas, e não estava criando nada de novo.
  • Devido à sua capacidade de se comunicar com as almas de sua pedra, sua alquimia é muito mais poderosa do que um indivíduo simplesmente utilizando a energia de uma pedra filosofal. Isto é evidentemente devido ao fato das almas de sua pedra ativamente estarem auxiliando-o em seus esforços. Isso também permite que sua pedra se use essencialmente, como pode ser visto quando as almas da pedra ativaram de forma independente o Círculo de Transmutação Nacional criado pela umbra.
  • Hohenheim é a única pessoa que o Pai cuidava e odiava mais, e muito provavelmente ele foi o único ser humano que ele realmente se importou.
  • Assim como Ed se ofende ao ser chamado de baixinho, Hohenheim, quando tinha a mesma idade, parecia irritado quando chamado de estúpido.
  • A atitude de Hohenheim para com seu filho, Edward, durante a primeira vez em que se reencontram é muito diferente entre o mangá e o anime Brotherhood. No mangá, sua aproximação era calma, triste sobre a morte de Trisha, e também um pouco humorada (confundindo o título de Edward de ser o alquimista federal mais baixinho do que o mais novo). Por outro lado, no anime Brotherhood, ele age quase completamente insensível, com todas as sugestões de suas emoções em relação a sua família sendo escondida pelo mesmo até mais tarde.
  • É estranho que Van Hohenheim use óculos no mangá, no anime Brotherhood, já que não precisava deles em Xerxes e sua visão não mudaria com o passar do tempo. É possível que ele simplesmente pense que está melhor com óculos, ou que ele precisava deles na sua juventude, mas o povo de Xerxes não tinha a tecnologia para fazê-los.
    • Também poderia ser que sua visão se deteriorou ao longo do tempo e, ao invés de usar algumas almas de Xerxes para corrigir o problema (que pode ter sido um desperdício de vida na sua visão e dificilmente uma razão para usar uma alma para ), ele optou por usar óculos.
  • Tecnicamente, no anime de 2003, Edward e Alphonse não são biologicamente relacionados com Hohenheim, mas sim com a pessoa de quem Hohenheim roubou seu corpo atual. Isso levanta dúvidas sobre como a verdadeira forma de seu filho Inveja (que tem aproximadamente quatro séculos de idade) tem qualquer tipo de semelhança com a família Elric. Deve-se notar, entretanto, que seu corpo original era uma semelhança perfeita àquele em que morreu. Isto é visto em como Dante conseguiu reconhecê-lo só de olhar para ele, apesar de ter mudado de corpo. Existem atualmente três teorias:
    • Pode ser possível que ele recriou uma cópia exata do seu corpo com a alquimia, porque ele não podia mais roubar corpos os outros. Isto explica porque Dante o reconhece assim como porque os irmãos Elric se assemelham à Inveja.
    • Outra solução poderia ser que seu corpo atual tinha uma grande semelhança com seu corpo original por pura coincidência. Dadas as circunstâncias relativas à sua aparência única, ou seja, os olhos e cabelos dourados, isso é altamente improvável. No entanto, ele pode ter escolhido esse corpo em particular devido à sua semelhança com a sua forma original, particularmente a cor do cabelo e dos olhos.
    • Outra é que o porque de Dante estar reconhecendo-o é porque ela tinha visto ele neste corpo antes. O fato de ela saber que os Elrics eram seus filhos e ter espionado ele em Resembool suportam isso. Ele também foi referenciado por Nash Tringham por ter trabalhado um período no 5 º Laboratório, que era uma ferramenta sob o controle de Dante, embora isso ainda não pareça ter qualquer relação com o por que o corpo atual de Hohenheim ser tão semelhante ao seu corpo original ou por que Inveja tinha uma aparência semelhante a dos irmãos Elric.

Referências

  1. Do japonês ヴァン・ホーエンハイム Van Hoenhaimu.
  2. Do japonês 光のホーエンハイム Hikari no Hoenhaimu
  3. Do japonês ホーエンハイム・エルリック Hohenhaimu Erurikku
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 4,4 4,5 4,6 4,7 4,8 Anime de Fullmetal Alchemist (2003-2004). Erro de citação: Etiqueta inválida <ref>; Nome "FMA03" definido várias vezes com conteúdo diferente Erro de citação: Etiqueta inválida <ref>; Nome "FMA03" definido várias vezes com conteúdo diferente
  5. Fullmetal Alchemist O Filme: O Conquistador de Shambala (2005).
  6. Ligados por sangue.
  7. 7,0 7,1 7,2 7,3 Anime Brotherhood (2009-2010).
  8. Do japonês エドとアルの父親である「光のホーエンハイム」はダンテと同じく、 400年にも渡り、魂を別の肉体に移し続けて生きてきた錬金術師。Edo to Aru no chichioyadearu 'hikari no hōenhaimu' wa dante to onajiku, 400-nen ni mo watari, tamashī o betsu no nikutai ni utsushi tsudzukete ikite kita renkinjutsu-shi.
  9. http://www.hagaren.jp/old/chara/hoh01.html
O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.